domingo, 22 de março de 2009

Quem me interessa

Thaísa Coelho

Thaísa Coelho foi a escolhida. Minha amiga de várias épocas e outros carnavais foi a escolhida para inaugurar este novo tópico do meu blog, intitulado de "Quem me interessa", onde a cada quinzena entrevistarei alguma pessoa que realmente me interesse. Thaísa tem 21 anos, é estudante de comunicação na área de publicidade e propaganda e não se limita a ser apenas uma garota em meio a sociedade, ela faz a diferença com seu humor despojado e sua atitude underground que faz dela um ser ímpar e assim, escolhida à dedo para ser minha amiga. Ela acaba de inaugurar o Blog Mate com Mel ( www.matecommel.blogspot.com ), onde ela pretende expressar toda a sua visão de mundo atrás dos assuntos que completam a sua mente.

Ping-Pong
Alto- definição: Menina.
Diversão: Estar com meus amigos.
Livro de Cabeceira: Alta Fidelidade de Nick Hornby.
Site Preferido: Google (www.google.com.br).
Amo em uma pessoa: Senso de humor e ironia.
Odeio em uma pessoa: Egocentrismo.
Largaria tudo para ... Viver um grande amor.
Lugar para fugir Se fosse pra fugir mesmo eu iria pra Europa Oriental e mudaria meu nome.
Filme Arrebatador: Trainspotting, direção de Danny Boyle.
Para repetir o prato ... Moqueca do meu pai.
Memória: Meu avô me ensinando a nadar.
Prioridade na vida: Amar, amar e amar.
Dinheiro não compra: Um Dinossauro.
Vestir ... Jeans e All Star.
Meninos: Engraçados, inteligentes e fofos.
Qualidades: Divertida, companheira, esperta, malandra e linda.
Defeitos: Ser modesta.
Comunicação é ... Entender e ser entendido, passar uma mensagem sem ruídos ...
Conto os dias para ... as férias !
Uma Voz: Regina Speaktor.
Celebridade: Clodovil, em homenagem póstuma.
Daqui 10 anos: Formada, com casa, bem sucedida, viajada...talvez uma familia e um cachorro.
A vida é ... uma comédia...vamos rir mais, porque pra chorar já tem muitos motivos.
Mate com Mel: Nem muito doce, nem amargo...e o blog, sem frirulas direto ao ponto com um pouco de humor.
Uma frase: "Numa moldura clara e simples sou aquilo que se vê" de Marcelo Camelo e Rodrigo Amarante.
.
.
Quem me interessa ...

Cuidado:Se você é interessante, corre grande risco de ser o próximo !

Risíveis Amores



"A moça sabia que era obrigada a aceitar qualquer coisa pelo simples fato de que se tratava de um jogo. Ela sabia que quanto mais longe o jogo fosse levado, mais seria um jogo e mais seria obrigada a jogar docilmente. De nada adiantaria pedir socorro à razão e avisar a alma espantada para guardar distância e não levar o jogo a sério. Justamente por ser um jogo, a alma não sentia medo, não se defendia e se abandonava ao jogo como a uma narcose.”
O Jogo da Carona - Risíveis Amores


Milan Kundera não se cansa de ser o melhor.
É incrível como a cada livro que leio ele consegue me envolver mais e mais. Declaradamente " A Insustentável Leveza do Ser" é meu livro preferido, mas Risíveis Amores me encantou tanto que o outro quase perdeu o seu posto.
Estava a algum tempo querendo lê-lo, mas ele me caiu nas mãos de um forma tão sublime que percebi que este era o momento de deixar mais uma vez este Tcheco adentrar a minha vida .
Risíveis Amores é constituído de sete histórias de amor extremamente originais, onde é trabalhado a falta de comunicação dos seres.
" O equívoco, seja ele de situações ou de sentimentos, é o que torna rísiveis os amores ..." diz o texto na contra-capa. Kundera nos leva através dos personagens à situações do dia-a-dia onde eles poderiam ser nós, onde involuntariamente você se identifica com alguma atitude ou pensamento contido no personagem.
Percebemos como é tão difícil se relacionar quando um simples diálogo não existe, quando nos equivocamos achando uma coisa que na realidade é outra.
Nem sempre expressamos o que realmente sentimos, esse medo do ridículo ou da situação pitoresca nos traz o envolvimento errado, uma ilusão perante aos fatos, uma utopia.
Ele desconstroi isso e nos convida a dar um basta na solidão humana e se abrir para atitudes mais palpáveis.

quarta-feira, 11 de março de 2009

Palavras, Palavras, Palavras


Você já se perguntou de onde surgiu nossa língua e o por que falamos, pensamos e escrevemos em Português ? Então está na hora de você conhecer o Museu da Língua Portuguesa e encontrar a resposta para esta e outras perguntas.

Desde Abril de 2006, São Paulo foi presenteado com o primeiro museu especializado no nosso idioma no mundo. Devidamente instalado junto à Estação da Luz, coração do centro histórico paulista, o local foi estrategicamente escolhido por se tratar desde 1.901, ponto de chegada e partida de diversos imigrantes, propagadores da nossa língua.
Através de meios multimídias, o espaço nos leva a nossa origem linguística de uma forma interativa. Lá você entrará no universo da língua portuguesa a partir do momento que pisar no elevador, com músicas de Arnaldo Antunes, ele nos embala em uma espécie de mantra das palavras.



O primeiro andar é destinado à exposições temporárias. Depois de passar por lá Guimarães Rosa, Clarice Lispector e Machado de Assis , o museu se prepara para a chegada de uma exposição diferente e atual, tendo como tema "O Francês no Brasil em Todos os Sentidos", aproveitando o ano da França no Brasil.
No segundo andar encontra-se o acervo permanente, a origem e transformação da nossa cultura linguística é ponto de partida, através de uma diversidade de elementos audiovisuais, o visitante é conduzido pela Linha do Tempo, pontuando cada momento importante da história da nossa língua.



A língua portuguesa descende da família indo-européia, originária de uma região que vai da Ásia à Europa, sendo uma transformação do Latim, surgido em 700 AC.
Ao chegar no Brasil em 1.500 com nossos colonizadores portugueses, a língua portuguesa não teve uma tarefa muito fácil. Assim que desembarcaram em terras tupiniquins, encontraram aqui cerca de 1.200 povos indígenas, falante mais de mil línguas diferentes.
Com o processo de expansão da colonização, começaram a aportar por aqui os primeiros navios com escravos africanos, vindo através do tráfico negreiro em meados do ano de 1.550.
Até 1.800 o nosso idioma ainda era falado apenas por 30% da população. Mas com a chegada da família real ao Brasil em 1.808, esse quadro mudou. A corte transformou a língua em moda e era chique falar português, ainda mais com o sotaque de Portugal.
E assim, se constituiu a nossa língua, sofrendo influência de línguas ameríndias da família tupi e de línguas africanas da família Niger-Congo.



No terceiro e último andar, você encontrará a Praça da Língua, um show multimídia de literatura, através de grandes nomes brasileiros como Mário de Andrade, Chico Buarque, Dorival Caymmi, entre outros.
Segundo Ataliba Teixeira de Castilho, professor e linguista, existe hoje no mundo cerca de 6.000 línguas. E a língua portuguesa é falada por mais de 200 milhões de pessoas em todos os continentes do planeta, sendo o 6º idioma mais falado. Nossa língua-mãe é hoje pauta de muitas discussões e transformações, se reinventando todos os dias, seja pelas reformas ortográficas quanto pela introdução do jovem ao universo das palavras, com suas abreviações e adaptações para a internet.



Serviço:
Museu da Língua Portuguesa
www.museulinguaportuguesa.org.br
Pça da Luz, s/nº, Centro – São Paulo – SP
Bilheteria: de terça a domingo, das 10h às 17h. Museu: de terça a domingo, das 10h às 18h
Ingresso: R$ 4,00 ( inteira ) R$ 2,00 ( estudantes e idosos)

Da série: Eu teria dito ...

Se ninguém tivesse dito antes !

Mário Quintana

terça-feira, 10 de março de 2009

Rir por graça


Rocky e Hudson
meus preferidos
Adão é sempre sinônimo de qualidade com seu humor inteligente e refinado, uma boa pedida para os chatos de plantão que não acham graça em qualquer coisa ( pode parecer estranho, mas isso me inclui ).

sábado, 7 de março de 2009

Mão na Massa


Work in Process

Minha mente mutável, minha personAlidade Camaleoa ... descobertas & FaTos. Com uma DOSE de Conquistas Corriqueiras