segunda-feira, 29 de junho de 2009

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Viva o que há dentro de você

Votos de Submissão
Caso você queira posso passar seu terno,
aquele que você não usa por estar amarrotado.
Costuro as suas meias para o longo inverno...
Use capa de chuva, não quero ter você molhado.

Se de noite fizer aquele tão esperado frio
poderei cobrir-lhe com o meu corpo inteiro.
E verás como a minha pele de algodão macio,
agora quente, será fresca quando for janeiro.
Nos meses de outono eu varro sua varanda,
para deitarmos debaixo de todos os planetas.
O meu cheiro te acolherá com toques de lavanda
Em mim há outras mulheres e algumas ninfetas.
Depois plantarei para ti margaridas da primavera
e aí no meu corpo somente você e leves vestidos,
para serem tirados pelo seu total desejo de quimera.
Os meus desejos, irei ver nos seus olhos refletidos.

Mas quando for a hora de me calar e ir embora
sei que, sofrendo, deixarei você longe de mim.
Não me envergonharia de pedir ao seu amor esmola,
mas não quero que o meu verão resseque o seu jardim.

(Nem vou deixar – mesmo querendo – nenhuma fotografia.
Só o frio, os planetas, as ninfetas e toda minha poesia.)
Fernanda Young


sábado, 20 de junho de 2009

Conversas alheias

Você consegue falar de algo que não seja seu passado ?


Desde que você entrou na minha vida comecei a frequentar cafés, porém não os tomo. Ainda prefiro a boa e velha Coca-Cola de sempre. Neste momento estou em um, o lugar é bem bacana e é meu preferido, você nunca veio comigo aqui. Talvez por falta de oportunidade ou interesse mesmo, sei lá, mas não vim pensar em você. Por mais que você esteja materialmente transformado em minha frente, hoje não é seu dia. Intelectuais, artistas, estudantes, pessoas diferenciadas da sociedade frequentam este lugar. Um casal acabou de se sentar na mesa ao lado.

O homem soltou a pérola citada acima. Pelo que percebi ele é escritor, típico escritor. Ela é atriz e ambos estão na casa dos 45,50 ...
Ele quer levá-la para cama e ela já propôs dar um baseado para ele relaxar.
Ela sempre foi chamada de bruxa na escola. E ele acabou de receber um telefonema que irá mudar o rumo de seu livro, que segundo ele estava à beira da mediocridade.

Parecia, mas eles não se conhecem .

Ele levanta bruscamente, pega o capacete e diz que vai embora. Ela manda ele sentar, que acata e diz lhe dar mais alguns minutos, além de elogiar o seu charme. Conversam sobre prazer : "Esculachar é uma delícia, é natural da mulher, da menina ".
Não quer conhecer seu passado, nem saber quem ela foi. Aceitou seu convite e está ali, pronto para descobri-la.

- Vamos embora ?

Levantam-se e ela sai na frente. O garçom arruma as cadeiras.
Minha Coca-Cola acaba.
Silêncio.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Para um futuro próximo ...

DESEJOS

Desejo a você...

Fruto do mato

Cheiro de jardim

Namoro no portão

Domingo sem chuva

Segunda sem mau humor

Sábado com seu amor

Filme do Carlitos

Chope com amigos

Crônica de Rubem Braga

Viver sem inimigos

Filme antigo na TV

Ter uma pessoa especial

E que ela goste de você

Música de Tom com letra de Chico

Frango caipira em pensão do interior

Ouvir uma palavra amável

Ter uma surpresa agradável

Ver a Banda passar

Noite de lua cheia

Rever uma velha amizade

Ter fé em Deus

Não ter que ouvir a palavra não

Nem nunca, nem jamais e adeus

Rir como criança

Ouvir canto de passarinho

Sarar de resfriado

Escrever um poema de Amor

Que nunca será rasgado

Formar um par ideal

Tomar banho de cachoeira

Pegar um bronzeado legal

Aprender um nova canção

Esperar alguém na estação

Queijo com goiabada

Pôr-do-Sol na roça

Uma festa

Um violão

Uma seresta

Recordar um amor antigo

Ter um ombro sempre amigo

Bater palmas de alegria

Uma tarde amena

Calçar um velho chinelo

Sentar numa velha poltrona

Tocar violão para alguém

Ouvir a chuva no telhado

Vinho branco

Bolero de Ravel

E muito carinho meu.



Carlos Drummond de Andrade

A Força do Rádio


por Thatiane Ferrari

Vivemos em uma sociedade onde o apelo visual é muito forte e com um ritmo de vida tão acelerado que parar para escutar o outro muitas vezes é uma missão quase impossível. O rádio tem esta incrível façanha. A de inquietar e convidar o ouvinte a utilizar a sua mente, de forma que a partir da descrição de detalhes ele consiga imaginar de fato o acontecimento narrado, tendo o poder de criar uma visão mental e atingir essa incrível magia radiofônica.


Mas nem sempre foi assim, antes do surgimento do rádio a comunicação ainda era extremamente regional e simplista, ninguém sabia o que acontecia do outro lado do mundo. Hoje a filosofia do rádio é “pense globalmente, aja localmente" mas antigamente a curiosidade era tamanha em saber o que se passava além do que os jornais publicavam que quando o rádio chegou ao Brasil em 1922, mesmo sendo caro tornou-se objeto de desejo da elite da época, motivo pelo qual demorou se popularizar.
Não existia uma linguagem radiofônica, o que obrigava os locutores a lerem as notícias dos jornais impressos, muitas vezes gritando o título para diferenciar a manchete do conteúdo da notícia e de forma impessoal já que ele não tinha a vivência do fato.


Com a comercialização das rádios através de anúncios passou-se a valorizar mais os locutores, surgiram os programadores que organizavam os horários e programações e equipes fixas trazendo aos poucos a profissionalização às rádios.
Esta evolução nos trouxe o surgimento em 1941 do revolucionário Repórter Esso, o primeiro rádionoticiário do país que durante 27 anos cumpriu o dever de informar e noticiar os fatos através do slogan "testemunha ocular da história". Editores trouxeram uma nova forma de linguagem, produzindo um novo tipo de texto mais objetivo e dinâmico o que agradou muito o público. “O Repórter Esso, programa memorável ... recolhia a todos junto aos rádios receptores, não deixando ninguém nas ruas após o toque marcial de fanfarras e clarins, que era o seu prefixo” cita Maria Elvira Bonafita em seu livro “ História da Comunicação: Rádio e TV no Brasil.”


Nessa época o mercado de trabalho era restrito apenas para homens, por muitos acreditarem que mulheres não tinham credibilidade na voz o que acabou-se desmentindo durante os anos, já que as mulheres conquistaram seu espaço e fizeram seu nome na história do rádio, porém esse espaço continua reduzido pois apenas 10% das vozes no rádio são femininas.
Os anos se passaram e esse profissional também se modificou. Milton Jung em entrevista para o Clever People* diz: “Naquela época o rádio era único veículo ágil que havia, a televisão era estática ... hoje todas as mídias trabalham com notícias urgentes então a competição com o rádio é muito forte” fazendo um parâmetro entre o mercado de trabalho atual e o de 25 anos atrás, e completa “se o profissional de rádio não souber trabalhar com os dois conceitos básicos do processo de comunicação dentro deste cenário que é a agilidade e a precisão vão pagar muito caro por isso e o que há de mais caro na nossa carreira é a credibilidade” .


O público tornou-se mais exigente, mais interessado e espera de qualquer mídia a notícia em última hora . Com a evolução dos meios de comunicação a tendência também é cobrar ainda mais deste profissional que é mais do que um narrador de fatos, é uma testemunha participante dos acontecimentos em tempo real é o responsável pelo desenvolvimento do espírito crítico de toda uma população.
A força do rádio pode ser conferida em números, já que o Brasil é uma das maiores potencias radiofônicas do mundo, alcançando 96% de todo território nacional. A programação é projetada para 49.500 rádios em domicílios brasileiros, sendo a maior cobertura de todos os meios de comunicação e com um público estimado em 90 milhões de ouvintes. Existem hoje no Brasil 3.988 emissoras de rádio um cenário bastante positivo, conforme gráfico abaixo:

Fonte: Grupo de Mídia SP


O maior pólo mercadológico está na região Sudeste que possui 1.404 emissoras de rádio com a maior concentração de aparelhos domiciliares: 47 %. Só em São Paulo temos 657 emissoras de rádio entre AM e FM. Estudos apontam que o índice de ouvintes das rádios paulistanas é bem maior para a frequência FM, constituída em maior parte por programas de músicas e pequenos boletins jornalísticos, enquanto a frequência AM, geralmente especializada em jornalismo, é bem menor.


O rádio como outros meios de comunicação necessitam da publicidade para sobreviver e manter a sua programação no ar. Diante disso as emissoras trabalham ativamente em seu departamento comercial na captação de anúncios, trabalhando diretamente com agências e em alguns casos, formulando comerciais totalmente específicos para o rádio.
No mercado publicitário o Rádio teve a participação de 4% em verba segundo os índices de referência, uma fatia muito pequena mas que cresceu 17,6 % em relação ao ano anterior.



Share dos Meios

Fonte: Grupo de Mídia SP


O perfil do ouvinte de rádio na sua grande maioria são jovens de 20 à 29 anos que fazem parte da classe econômica C, uma classe economicamente consumista que requer uma atenção especial dos anunciantes.

O assunto da imprensa independente hoje em dia é pauta para muitos debates, já que a influência dos anunciantes perante aos veículos de comunicação passa pelo fato do anúncio ser a grande fonte de renda para as emissoras de rádio e uma notícia que seja desagradável para a imagem deste anúncio seria o fim de um contrato.
Diante deste assunto, muitos profissionais renomados divergem suas opiniões, José Mello Marques cita em entrevista ao Clever People a sua posição perante este fato “Raramente uma notícia contra anunciantes será divulgada por um veículo de comunicação que dependa economicamente da publicidade desse anunciante. Quem falar o contrário está mentindo.” Sobre os profissionais do mercado que praticam a idéia de liberdade de imprensa, Nello Marques diz que já viu anunciante pedir “a cabeça” de repórter ao dono da rádio.


Uma coisa é certa, o jornalismo radiofônico é totalmente dependente do mercado publicitário, o que influencia e muito o mercado de trabalho no rádio desde as contratações de equipes até produção de programas.





* Clever People é o grupo de estudos formado na Universidade Paulista para o curso de Comunicação Social.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Sensíveis acordes ...

Vasculhando e desbravando por aí, encontrei uma deliciosa pérola no Youtube, esse mágico lugar onde tudo acontece !

Lá achei o documentário na íntegra ( dividido em partes, claro) do Chico Buaque - À Flor da Pele.
Ele trata da essência feminina nas belíssimas canções do Chico, o maior letrista brasileiro que consegue com as suas palavras entrar no antro de toda mulher.
Compartilho com vocês a primeira parte. Ele é constituído de 8 partes e todas podem ser encontradas na sequência da visualização.


sexta-feira, 5 de junho de 2009

Planeta Johny - Conhecendo nossos vizinhos ...



Galera !!!!


Não teria como não socializar o blog de dois amigos meus que estão dando um grande passeio por aí: Johny e Djalma.

Esses caras são dois aventureiros que agora decidiram mochilar por lugares um pouco mais distantes ... Sim, eles estão fazendo América do Sul. E eu como amiga, acredito ter sido uma das que mais incetivaram a trip e estou super feliz para a concretização deste grande sonho !


O blog deles é o Planeta Johny


Vale a visita !!!!

Chicos, Buena Suerte