quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Tudo junto

Wassily Kandinsky

Adoro quando preciosidades caem nas minhas mãos, ainda mais em épocas onde estou assim, atenta ao que realmente transforma a minha vida. Está aberto em mim a temporada de novas possibilidades e esse texto me caiu como uma luva. Apaixone-se. Não no sentido romântico da palavra. Poderia até ser mas neste caso não é. Aliás, esse texto me lembrou um pouco de Antonin Artaud ( grande criador do Teatro da Crueldade ) quando ele cita que viver é afirmar-se em si mesmo, encarniçadamente e que esse é o esforço que o homem contemporâneo não quer mais fazer ... Tenho pensado muito em Kandinsky.

Apaixone-se

Porque o dia seguinte é o dia mais importante da sua vida.

É no dia seguinte que sabemos se o dia de ontem valeu a pena.

É no dia seguinte que acordamos para a realidade ou dormimos no sonho.

A vida da gente começa no dia seguinte e só existe uma maneira de viver: APAIXONADO.

Por isto dance, dance como se ninguém estivesse vendo você,

Trabalhe como se não precisasse de dinheiro,

Corra como se não houvesse a chegada,

Ame como se nunca tivesse sido magoado antes,

Acredite como se não houvesse frustração,

Grite como se ninguém estivesse ouvindo,

Beije como se fosse eterno,

Sorria como se não existissem lágrimas,

Abrace como se fossem todos amigos,

Durma como se não houvesse amanhã,

Crie como se não existisse crítica,

Vá como se não precisasse voltar,

Acorde como se você nunca mais fosse dormir de novo,

Faça a próxima viagem como se fosse a última,

Vista-se como se não conhecesse espelhos,

Proponha como se não existissem as recusas,

Brinque como se não tivesse crescido,

Levante como se não tivesse caído,

Case como se não houvesse outra,

Mergulhe como se não houvesse medo,

Ouça como se não existisse o certo ou errado,

Fale como se não existisse o certo ou errado,

Aprecie como se fosse eterno0,

Viva como se não houvesse fim.


Prefira ser invés de ter,

Sentir invés de fingir,

Andar invés de parar,

Ver invés de esconder,

Abrir invés de fechar.


Apaixonar-se é um exercício de jardinagem: arranque o que faz mal,

prepare o terreno, semeie, seja paciente, espere, regue e cuide.

Terá um jardim.

Mas esteja preparado porque haverá pragas, secas ou excesso de chuvas.

Se desistir, não terá um jardim.

Terá um descampado.

A paixão não se vê, não se guarda, não se prende, não se controla, não se compra, não se vende, não se fabrica.A paixão é a diferença entre o sucesso e o fracasso.Entre a dúvida e a certeza.Entre aqueles que gostam do que fazem e aqueles que fazem o que gostam.Apaixonados não esperam, agem.

A paixão é o que faz coisas iguais serem diferentes.

Lembre-se que a arca de noé foi construída por apaixonados que nada conheciam de navegação e de embarcação e o Titanic foi feito por engenheiros profissionais, fabulosos, que queriam mostrar seu poder.Amanhã, quando acordar, pense se hoje valeu a pena e APAIXONE-SE.

Porque em 24 horas você vai entrar no dia mais importante da sua vida: o dia seguinte.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Vou descer no próximo


" A vida numa sociedade líquido-moderna não pode ficar parada. Deve modernizar-se ou então perece. É preciso correr. Ligar-se ligeiramente é uma ordem. Não importa o que aconteça, propriedades, situações e pessoas continuarão deslizando e desaparecendo numa velocidade supreendente."

Sociólogo polonês Zygmunt Bauman


O supérfulo te atrai ?
Como escolher o que é passageiro ?
Você corre para onde ?
O que é viver em uma sociedade líquida ?
Pai e mãe é para sempre ?
O outro tem tempo para você ?
Para que interagir se amanhã o nosso redor terá mudado ?
Aonde é a saída ?
Como confiar em relações coloridas ?
Quantas flores tem em seu vaso ?
As pessoas te olham nos olhos ?
Você é descartável ?

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Novas idéias para um mundo com futuro




Uma das coisas mais legais que ouvi nos últimos tempos, foi uma amiga dizer o quanto ela não tem medo de recomeçar...

Essa conversa ficou vagando pela minha mente durante dias e hoje, após alguns acontecimentos, coloco-me no mesmo lugar que ela: de cabeça erguida e olhar para o horizonte.

Meu histórico de vida sempre me colocou como uma pessoa disposta à recomeços, porém eu andava muito bundona.

Bundona mesmo, no maior estilo" será que vou, será que não vou ?".

Se não estou saindo da página 30 é que está na hora de mudar de livro.

Se meu esmalte vermelho está acabando é que chegou o momento de comprar um novo.
Se estou sendo enrolada, algo vai ter que rolar.

Não adianta eu ficar triste com as minhas perdas momentâneas e materiais. A única coisa que sei é que vou levar apenas a minha melhor troca de roupa para os sete palmos e nada mais ...


Confesso que preciso de uma viagem de férias para o Paquistão !

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Continuo vivendo

O amor comeu meu nome, minha identidade, meu retrato
O amor comeu minha certidão de idade, minha genealogia, meu endereço
O amor comeu meus cartões de visita,
O amor veio e comeu todos os papéis onde eu escrevera meu nome
O amor comeu minhas roupas, meus lenços e minhas camisas,
O amor comeu metros e metros de gravatas
O amor comeu a medida de meus ternos, o número de meus sapatos,
o tamanho de meus chapéus
O amor comeu minha altura, meu peso, a cor de meus olhos e de meus cabelos
O amor comeu minha paz e minha guerra,
meu dia e minha noite,
meu inverno e meu verão
Comeu meu silêncio,
minha dor de cabeça,
meu medo da morte.
Dos Três Mal Amados - Cordel do Fogo Encantado
da poesia de João Cabral de Melo Neto