sábado, 8 de maio de 2010

Música, silêncio e pausa


Piracicaba, 27 de Outubro de 1988.

Meu querido amor

O Ipê já começou a florescer e você não voltou. Disse que iria voltar.
Não consigo esquecer seu sorriso e ainda me lembro de tudo aquilo que me disse no piquenique lá na beira do lago, da última vez que nos vimos. O livro do Mario Quintana aquele que você me deu, está na cabeceira da minha cama. Lemos juntos até a página 82. Estou te esperando para terminar.
Até grifei a última frase que a sua voz leu :" Teus silêncios são pausas musicais"...
Porque não me responde ? Sabes o quanto é difícil conseguir uns trocados pro selo.
Toda semana vou na venda da Dona Dora ver as rendas e já avisei a ela que assim que você voltar dos estudos vamos nos casar. Ela disse para não ter pressa de modo que sou muito nova, mas eu nem ouvi. Tem cada pérola linda. De mentira, mas são lindas.
Te mando uma foto pra você saber como estou. Cortei meu cabelo na altura dos ombros, mas continuam enroladinhos do jeito que você gosta.
E é tão difícil não te ter por perto.
Ás vezes penso que não vou aguentar e choro abraçando meu travesseiro, como se fosse você.
Me escreva, nem que seja para falar que já me esqueceu.

Sinto saudades

Da sua Dete


Jornal da Tarde

Jovem é encontrado morto na Lapa

O corpo de um jovem não identificado foi encontrado por volta das 9 hs da manhã desta quarta-feira (15) em um terreno baldio no Alto da Lapa, zona Oeste de São Paulo. De acordo com os primeiros levantamentos, a região é alvo de contantes acerto de contas entre traficantes e usuários de droga o que assusta os moradores. A polícia investiga o crime e caso não seja identificado, o cadáver será sepultado como indigente.

Um comentário:

Marcelo Mariano Melo disse...

E fez-se o silêncio...