domingo, 26 de abril de 2009

Nem Platão Explica


O nome dele era Fernando e das suas características não lembro nada. Só sei que era apaixonda por ele e queria que ele fosse meu noivo na quadrilha da festa junina ...

Era o início da década de 90 e eis que começo a minha saga de amores platônicos infantis .

O próximo da lista foi Yuri, que logo minha família percebeu meu interesse já que entre 10 palavras que eu falava 5 era o nome dele. Estava na 1ª série e o nosso hobbie era brincar de pega-pega na hora do recreio. Toda vez que ele me pegava gritava Madonna com um tom de xingamento, ainda mais naquela época que ela usava soutien pontudo ... Hoje em dia adoraria que me chamassem de rainha pop. No ano seguinte ele não apareceu na escola, disseram que ele tinha mudado.

Como meu coração estava vago apareceu um candidato, Daniel. Ele era lindo, pele morena do tipo bronzeada com o cabelo tijelinha preto lisinho. Ele estudava na sala do lado da minha e meu irmão e o irmão dele não se davam muito bem. Ele movia meus pensamentos, sonhava em nos casar, me imaginava de vestido branco e batonzão vermelho entrando na igreja. Mas, ele sumiu, sem deixar rastros ou informação de mudança. Se bem que tinha me desiludido com ele, quando soube que com mais dois garotos, atacaram a Soraia ( uma menina maloqueira que morava na minha rua ) atrás de um caminhão. O acontecido chegou aos ouvidos da professora que deu suspensão para eles, mas o que eles fizeram naquela tarde não sei, além do mais naquela época isso não era assunto para crianças ...

Passou o tempo, mudei de escola e do nada surgiu na minha frente,o Moritta. Marcos Moritta um mestiço lindo que usava topete e era repetente, meu Deus, abalou meu coração, mas como sempre não comentei nada para ninguém, nem para minha amigas, que mais tarde uma veio me falar que estava gostando dele ... Porém, já era tarde, ele estava gostando de mim e eu já era conhecida como Srª Moritta.
Um dia me falaram que ele queria ficar comigo e ele veio querer saber a resposta pessoalmente: " Eux nããão querox flicar com voxxê " ... Ai, aquele aparelho dentário móvel, que desastre ...
Eu nem sabia o que era ficar e como até hoje sou tímida para assuntos do coração, tremi tanto que acabou saindo essa resposta. Resultado: depois de um mês ele estava namorando uma menina da minha sala que sabia e muito bem o que era ficar ...
Aliás creio que este é um grande defeito meu, nunca sei demonstrar interesse nesses assuntos, nunca consigo deixar a outra pessoa perceber que estou gostando dele.

Meu último amor platônico de infância foi o Thiago com quem eu tinha feito catequese e não tinha naquela época menor interesse nele, até encontrá-lo anos depois passando na porta da loja do meu pai . Meu coração ? Ah, disparava todos os dias ao escutar o som barulhento da mobilete dele passando de um lado pro outro ... Escrevia sobre ele no diário e passava manhãs e manhãs falando dele na escola e lembrando de seus olhos verdes.
Ficamos nessa de "vai, não vai", ele sabia que eu gostava dele e ele também era afim de mim, mas como ele não chegava e eu nunca chegaria em nenhum menino, a loja do meu pai acabou mudando e acabamos perdendo o contato .
Anos depois, após uma crise de tristeza momentânea de adolescente, minhas amigas foram atrás dele e o que era platônico se transformou, elas agitaram ele de presente para mim. Esperei tanto por aquele momento que quando aconteceu nem foi tão especial ... Me falaram depois que ele trancava a vó no banheiro para levar os amigos em casa e colocava filme pornô para assistirem ... hehehe falam, né.
Encontrei ele ano passado no shopping, na parte de chocolates das Lojas Americanas ... Fingi que não o conhecia e sai andando.

Vai saber, Vai se entender o coração ...

2 comentários:

Thaisa disse...

Ahhhhhhhh...o que seria de nós garotas se não fossem esses amores platônicos???
Depois de ler seu post, fiquei aqui lembrando dos amores que tive...foram todos tão especiais!
Aii a infância é mesmo incrivel, naquela época a gente apenas ficava contente em gostar de uma pessoa, e manter o amor secreto fazia parte desse gostar!
Pra te confessar(mentira, vc já sabe!) eu tive uma amor platônico não faz muito tempo...
Mas eu já to crescidinha e preciso de mais do que suspirar por alguém as escondidas!!!
Bom mesmo é viver o amor por completo!

Rodrigo disse...

e eu?